Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ANITTA BARROCO

"AQUAE FLAVIAE"

"AQUAE FLAVIAE"

LONGE DO MUNDO

Eu, que sou feio...

 

 


Eu, que sou feio, sólido, leal,
A ti, que és bela, frágil, assustada,
Quero  estimar-te, sempre, recatada
Numa existência honesta, de cristal.

Sentado à mesa dum café devasso.
Ao avistar-te, há pouco, fraca e loura.
Nesta Babel tão velha e corruptora,
Tive tenções de oferecer-te o braço.

E, quando socorreste um miserável,
Eu que bebia cálices de absinto,
Mandei ir a garrafa, porque sinto
Que me tornas prestante, bom, saudável.

«Ela aí vem!» disse eu para os demais;
E pus-me a olhar, vexado e suspirando,
O teu corpo que pulsa, alegre e brando,
Na frescura dos linhos matinais.

Via-te pela porta envidraçada;
E invejava, - talvez não o suspeites!-
Esse vestido simples, sem enfeites,
Nessa cintura tenra, imaculada.

Ia passando, a quatro, o patriarca.
Triste eu saí. Doía-me a cabeça.
Uma turba ruidosa, negra, espessa,
Voltava das exéquias dum monarca.

Adorável! Tu muito natural,
Seguias a pensar no teu bordado;
Avultava, num largo arborizado,
Uma estátua de rei num  pedestal.

 Cesário Verde

 

 



Pedra no charco

rumo11

 

Caiu uma pedra no charco,
caiu um penedo no rio,
caiu mais um cabo da boa esperança no mar,
p'rá gente se agarrar.

Deixámos de ver as nuvens
que nos tapavam o céu,
pudemos sentir de perto a meiguice do tempo
onde a gente se escondeu.

É que hoje
nasceu mais um dia.
É que hoje
nasceu mais alguém.
É que hoje
nasceu um poeta na serra com a estrela da manhã.

Foi quando os lobos uivaram,
foi quando o lince miou,
as ovelhas não tinham fome
e a alcateia repousou.

E entre os uivos e os miados
o poeta abriu o choro.
E entre os vales e os cabeços,
cavalgando uma alcateia
o poema deslizou.

 Luís Represas

Pensamentos...

O importante na vida: busca o que amas e aprende tudo a esse respeito. Aposta tua vida no que sabes e foge do que é seguro, lançando-te de tua montanha, ao espaço e confiando que o princípio do vôo te alçará, veloz, de um modo que não se vê com os olhos.

Nunca te é concedido um desejo sem que te seja concedida também a faculdade de torná-lo realidade. Entretanto, é possível que tenhas que lutar por ele. A única coisa que destrói os sonhos é resignar-se às concessões.

Um ser humano é uma expressão de vida, espalha luz e reflete o amor em qualquer dimensão que decida tocar. A humanidade não é uma descrição física, mas uma meta espiritual. Não é algo que nos seja dado, mas algo que conquistamos.

Quando amas alguém e sabes que ele está pronto para aprender e crescer, tu o deixas em liberdade.

Não percas tua paixão pelo céu e te prometo: o que amas encontrará um modo de elevar-te da terra, muito alto, até te dar respostas a todas as perguntas que possas formular.

 

 

Richard Bach

 

 

 

Lenda

 

Sou lenda, porque as lendas são envoltas em mistérios e magias.
São uma criação dos caminhos da mente, da vaga imaginação, da liberação dos silêncios da alma...
Sou lenda, porque as lendas correm livres junto ao vento, buscando as vozes da memória, para que alcancem as histórias perdidas no tempo...
Sou lenda, pelo desejo incontido que há em mim, de tornar possível o encontro entre a Lua e o Sol, diminuindo o entrave da dor...
Então, sendo lenda posso cavalgar pelos sonhos, velejar pelos mares da sua saudade, passear solta, pelo seu pensamento...
Sendo lenda, posso brincar na sua alegria, ser parte da sua emoção, e caminhar tranquila, pela sua ilusão...
Sendo lenda, posso escrever meu nome em sua vida, e me instalar no aconchego do seu coração, como uma sensação chegando pelo perfume do ar...
Sendo lenda, posso ser parte de você, sem você perceber...

Débora Böttcher

 

AMIGOS MADUROS

Você já experimentou observar amorosamente a árvore de sua família,
a seiva que lhe dá vitalidade, as flores e frutos que ela produz
e imaginar as raízes que lhe dão sustento?

Em sua memória, em cartas e cartões guardados, em álbuns de fotos
ou, quem sabe, ainda bem próximo de você, há quatro pessoas
que acumulam sabedoria e ternura, carinho e compreensão
e têm muitas histórias para contar.

São os avós, pessoas que, revendo o passado com gratidão
e abraçando o presente com serenidade, ajudam a vislumbrar
o futuro para seus filhos e netos.

Essas pessoas queridas, depois de percorrem tantos caminhos
e já colhendo os frutos do seu trabalho e amor...
de repente, deparam-se com nova onda de vitalidade, à medida que,
rebentos de uma nova geração, os netos, reacendem nos avós
o gosto pela vida e a lembrança do tempo de infância.

Mesmo com algumas carências próprias da idade,
os avós têm lugar especial na vida dos netos,
pois são amigos maduros, livres e criativos,
afetuosos e compreensivos.

Experimente pedir a eles para contarem histórias do tempo
em que tiveram que criar e educar seus filhos.

Converse com eles e descobrirá tantos detalhes curiosos
que irão enriquecer sua história. Faça anotações, gravações, fotos.
Chegará o tempo em que, depois de percorrer o mundo,
as rodas de amizades, você voltará a atenção
para a história de sua família, que é a sua história.

Qual uma colcha de retalhos, a vida foi se ajeitando aos poucos.
Entre choros e abraços, a vida foi criando seus laços,
legando experiência, valores e uma cultura tão própria da família.

Você conhece as canções de ninar que acalentaram e embalaram
seus pais? Que tal pedir para seus avós cantarem para você?
Se esse seu desejo for agora apenas uma lembrança,
uma prece, que Deus acolha seu recado e sua saudade.

Parabéns aos nossos amigos maduros,
cheios de escuta e compreensão - nossos avós -
cujo dia é celebrado em 26 de julho,
lembrando São Joaquim e Santa Ana,
pais de Maria, Mãe de Jesus!

Ir. Zuleides Andrade

As pessoas sensíveis

As pessoas sensíveis não são capazes
De matar galinhas
Porém são capazes
De comer galinhas


O dinheiro cheira a pobre e cheira
À roupa do seu corpo
Aquela roupa
Que depois da chuva secou sobre o corpo
Porque não tinham outra
O dinheiro cheira a pobre e cheira
A roupa
Que depois do suor não foi lavada
Porque não tinham outra


"Ganharás o pão com o suor do teu rosto"
Assim nos foi imposto
E não:
"Com o suor dos outros ganharás o pão."


Ó vendilhões do templo
Ó constructores
Das grandes estátuas balofas e pesadas
Ó cheios de devoção e de proveito


Perdoai-lhes Senhor
Porque eles sabem o que fazem.

Sophia de Mello Breyner Andresen

 


VIDA O POEMA

A vida é um poema muito lindo
Se assim a quisermos fazer
Nem tudo serão rosas
Mas tudo faremos para vencer

Coisas más e coisas boas
Coisas tristes e alegres
Tudo se junta num bolo
Só temos de separar as pestes

A vida é o maior poema
Desde que nascemos até ao morrer
Mas enquanto a vivemos
Temos de aproveitar e fazer tudo para a merecer

Não vale a pena andarmos tristes
E se tristes estamos temos de nos alegrar
E com essa alegria contagiar os outros
Para do poema fazer algo de encantar

E se tivermos sempre alegres
Com essa alegria podemos ajudar
Todos os que quisermos
E que se deixem libertar

Blue Heaven


TIO E SOBRINHO-NETO

 

 

 

Percebo, Luz dos teus olhos, quando falas

Há um baque d"emoção quando te vejo:

É o sonho que acalenta a noite e conforta.

O olhar dos olhos que acaricia com as mãos!

 

Avós

 

Sermos avós hoje em dia

É ter sempre alegria

E muito que fazer

Depois de criar os filhos

Não acabam os sarilhos

Para os netos temos de correr

 

Dar-lhes muito carinho

Indicar-lhes o caminho

Para um dia serem alguém

Às vezes é um tormento

Outros, um bom momento

Mas só lhes queremos bem

 

Quando as férias chegam

Os avós aconchegam

Os seus netos, com amor

São beijos até mais não

Bate forte o coração

Até a vida tem mais cor

 

Mas há sempre arrelias

Quando há os maus dias

E os netos não obedecem

 

Fartam-se de gritar

Não se podem aturar

Mas os avós tudo esquecem

 

Eles são duas vezes Pais

Como eles não há iguais

Têm muito amor para dar

Gostam tanto de os ver bem

Amam-nos mais que ninguém

Eles só pensam em ajudar

 

Nunca sereis abandonados

Os avós ficam babados

Quando estão ao pé de nós

É um amor profundo

Um dos melhores do mundo

Adorais os vossos Avós

 

Eu também tive avós

Já cá não estão entre nós

Mas guardo deles recordação

Deito lágrimas fora

Sabendo que foram embora

Mas estão dentro do meu coração.

Silvério Nevado

 

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

VISITAS

contador grátis

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D