Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ANITTA BARROCO

"AQUAE FLAVIAE"

"AQUAE FLAVIAE"

BOAS ENTRADAS

 Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para repensar tudo o que fizemos e que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!"

 

 

 

FELIZ ANO 2009

ADEUS ANO VELHO

Ano novo

Para sonhar um ano novo

 

É hora de refazer os sonhos perdidos, e ainda não realizados e acreditarmos que iremos concretiza-los.
 Soltar um olhar solitário para os nossos amigos, e bocejar para os nossos inimigos. Aprender com os erros, e brindar com um sorriso o ano que se aproxima.
Corremos ao encontro daqueles que ama-mos e surpreendermos o amor que conquistamos.
Desejo a todos o que me visitam um ano de luz e amor, saúde e prosperidades.
 
 
Anabela

CONTAGEM DECRESCENTE

Perdeu-se mais um sonho! E o que findou
Ficou apenas no acenar furtivo
Duma saudade! E olho para trás e vivo
O tempo que morreu e que passou!

Julgo renovação este cultivo
De ter perdido aquilo que não sou …
Sinto a lembrança dum prazer cativo
E desconheço o mundo por onde vou …

Olho para a frente e vejo a cerração
Que encobre à minha vista a luz do luar.
Quero ser profeta... e sinto o coração

Negar a pulsação e o renôvo
Para um futuro que sonhei trilhar.
…e volto a começar um ANO NOVO!...

II

Não passa o Ser que concedeu a Vida!
E o tempo para nós é o que conta
Um ano mais! é a alegria tonta
Que se dissipa ao longo da subida...

E a pobre humanidade anda iludida
Julgando que o futuro é o TESOURO.
- Pobre romeiro, em busca do VELO D'OIRO
Cavaleiro-defesa à dama querida.

E é a vida o sonho permanente
Do qual eu vivo e vive toda a gente
O sonho de amanhã mais justo e são.

Um ano mais! É acha na fogueira
Onde aquece a humanidade inteira
E queima a toda a hora uma ilusão!... 

 

 

 

 

http://www.luso-poemas.net

 

UM CONTO DE NATAL

 

 

 

Ao entrar, sob acalorados aplausos,

Há muitos anos, Neimar de Barros visitou minha terra natal,

 Sant'Ana do Livramento. Fez uma palestra na igreja

 Nossa Senhora do Rosário, a qual minha família freqüentava.

 Na  fria noite, um sábado de agosto,

 os bancos todos estavam lotados e ainda havia

 gente em pé no fundo do amplo templo.

 Todos queriam ouvir o homem que escrevera o livro Deus Negro.

E lá estávamos nós: meu pai, minha mãe e eu.

 Neimar pediu silêncio e antes de iniciar

o que iria falar naquela noite, disse:

- "Senhores, ao chegar aqui, encontrei um casal muito humilde.

 Eles são do interior, não têm parentes na

 cidade e vieram em busca de um emprego

 que foi prometido ao marido.

 Ela está grávida e eles não têm dinheiro para pagar um hotel. 

Precisam ficar na casa de alguém, até segunda-feira.

 Qualquer espaço serve. Quem de vocês poderia recebê-los?"

Fez-se um silêncio profundo...

Lembro do olhar trocado entre meus pais.

 Ele ergueu a mão e disse que poderiam ficar na nossa casa.

Neimar olhava ao redor como se não

tivesse visto o gesto e ainda esperasse

 pela manifestação de outra família.

 Ninguém mais levantou a mão.

 Então o palestrante virou-se para onde estávamos sentados e disse:

- "Após a conversa que terei hoje aqui,

 por favor, venham falar comigo." 

Neimar discorreu sobre solidariedade, fé, amor

 ao próximo e muitos outros assuntos que

 aqueciam nosso coração e nos faziam pensar

 em como podíamos ser melhores.

 Sensibilizou com suas palavras até os corações mais duros.

Antes do final da palestra, chamou-nos até onde estava, abraçou-nos longamente e colocou-se entre nós.

Por fim, falou a todos os presentes: 

- "O casal que lhes falei são Maria e José.

 Apenas esta família, entre tantas aqui presentes,

 acolheria o menino Jesus." 

Nunca esqueci desse fato.

 Hoje me pergunto se eu seria capaz do gesto de meus pais... 

 

 

 

 

 

 

 

http://www.reflexaodevida.com.br/345conto/345conto.htm

 

 

BOAS FESTAS

NATAL

http://www.geocities.com/noelinha2002/presepio.JPG

 

Por um tempo eu vi toda a alegria que podia o mundo
Era um Deus Menino a falar baixinho de um amor profundo
E nesse momento de contentamento do meu coração
Me senti tão perto de meu Deus presente e elevei aos mãos.

Eis aí o meu Servo a quem Eu amparo por todo caminho
Sobre Ele eu faço repousar meu braço, todo o meu carinho.

E naquele tempo era tão comum tantos reis na terra,
A obediência de um homem pra o outro, até matar guerra,
Foi assim que Deus, al julgar violada toda a sua lei,
Não mandou profetas, todos ofendidos, ELE mesmo veio.

E chegou tão simples, numa manjedoura, num leito de feno
E era o mais bonito, todos O olhavam como a um Deus supremo.

E quando eu me lembro que aquele Menino foi tão diferente,
Me angustia a alma em saber que os homens foram tão ausentes,
Quisera que o mundo, só por um segundo, O visse de novo
E deixasse Ele, como sempre quis, conduzir seu povo.

Eis aí O meu Servo a quem EU amparo por todo caminho,
Sobre ELE eu faço repousar o meu braço, todo o meu carinho.

NATAL II

Dobram os sinos em Belém,
nasceu hoje o nosso bem
é natal, é natal,
é natal um sinal de DEUS
que desta vez
veio ao mundo morar
é natal,
louvem a Deus no MENINO
Que ensina amar.

Tudo passa a ter sentido
quando o MENINO nascido,
quer chorar, quer chorar.
É natal um sinal de Deus
que desta vez
veio ao mundo morar
é Natal, louvem a Deus
no menino, que ensina amar.

MARIA
Maria mãe de todo mundo
ó amor profundo,
vem falar a nós
somos tão pequeninos
somos todos teus filhinhos
carente de amor
do amor que só Tu tens,
faz nos o bem,
mostra-nos a LUZ
faz nos deitar e dormir
cantando as canções
que ninavas Jesus.

Maria das Dores do mundo
que tua força inunde
nossos corações
Ao aceitar ser mãe de Deus,
confirmastes ser
a nossa Mãe também.

Nos ensina a sermor fortes
a mudar a sorte
deste nossso mundo,
consolida em nosso peito
a vontade e o jeito
de amar o mundo.

Naeno Rocha
 

 

 www.paralerepensar.com.br 

NATAL È COM ELE

 

Então é Natal!
Há luzes piscando por todos os lugares.
Gente correndo apressada, cheias de pacotes e embrulhos bonitos.
Listas de presentes enormes, muita comida na geladeira e bebidas especiais.

Então é Natal!
Amigo secreto, despedida da escola, fim de um ciclo.
Gente nas grandes filas dos Shoppings.
Gente nervosa nas filas dos Caixas eletrônicos,
Gente aborrecida nos estacionamentos.

Então é Natal!
Sua lista de presentes está pronta?
Não está faltando alguém?
Jesus aparece na sua lista?
Qual é o seu presente prá Ele?

Não, não precisa se desculpar por ter esquecido Dele.
Nem precisa sair correndo para o Shopping que vai ficar aberto até a meia
noite.
Nem coloque um prato a mais na sua mesa da Ceia.
Basta que você coloque Ele no seu coração e não se esqueça do seu pedido mais marcante: perdoar os que te ofendem e amar o próximo como a ti mesmo.
Por isso, se você ainda tem alguma desavença, alguma coisa mal resolvida com qualquer pessoa, antes de comemorar o Natal, antes de abrir os presentes tão caprichosamente embrulhados, levante-se e vá em busca daquele que vai estar ausente nesse Natal.
Levante-se e procure seu irmão ofendido, procure o amigo magoado.
Procure aquele que tem algo contra você e perdoe.
Procure aquele que você ofendeu e peça perdão. Retire qualquer sombra e mágoa do seu coração.
Mesmo que não aceitem o seu perdão, mesmo que a pessoa não acredite no seu pedido.
Não importa, seu coração e sua alma estarão livres e o presente de Jesus garantido.                    
                                   
                      

 

   Paulo Roberto Gaefke                 

 

Mensagem de Natal

 

Mais uma vez vivemos um momento de reflexão sobre o nosso comportamento em sociedade, onde somos apenas criaturas frágeis, imperfeitas, pecadoras e egoístas, quando muitas vezes nos tornamos insensíveis com o que acontece com os nossos semelhantes.
            Há mais de dois mil anos, nascia o Messias para salvar a Humanidade que estava tomada pelo ódio, pela vontade de dominar e escravizar, pela falta de esperança nos valores espirituais, pela falta de amor ao próximo, onde o único objetivo das pessoas era acumular poder e bens materiais.
Filho de um simples carpinteiro, tendo como berço uma humilde manjedoura, dedicou toda a sua existência na busca da verdade, da justiça, na defesa dos fracos e oprimidos, no fortalecimento dos valores morais, contrariando desta forma os interesses dos poderosos daquela época.
            Por esses motivos foi traído, humilhado, sacrificado e crucificado, mas a sua maneira de combater a dominação através da força armada, utilizando apenas idéias e bons exemplos, sobreviveu após a sua morte e dividiu a História da Humanidade em antes e depois da sua passagem pela Terra.
            O quadro que vemos atualmente não é muito diferente daqueles dias. Violência, ambição excessiva por bens materiais, briga pelo poder, traição, descaso pelo ser humano, guerras e ódio de todas as espécies. Será que não conseguimos entender e praticar os ensinamentos pregados pelo Salvador?
            Podemos compreender porque as conquistas dos povos antigos eram conseguidas na base da luta armada. Mas em pleno século XXI, com todos os avanços tecnológicos e com a evolução do ser humano, utilizar a guerra tradicional como meio de obter lucro é uma irracionalidade, um retrocesso na História.            
O Natal, que muitos só vêem como um dia dedicado à ceia em família e à distribuição de presentes, além do nascimento de Jesus Cristo, simboliza o renascer da fé, da esperança e da caridade, relembrando ao mundo que alguém já pagou com a própria vida para que todos pudessem viver em paz e harmonia.
Feliz Natal!
 
 
 
Jose Roberto Takeo Ichihara

LUZ DE BELÉM

Durante séculos em todo canto se ouvia
Que numa manjedoura surgiria um grande Rei.
Como palavras de profetas, eram, portanto, profecias
De que o Salvador viria para juntar Sua grei.

O Deus Pai escolheu entre todas, Maria,
Mulher imaculada para abrigar em seu ventre materno
Aquele que como Ser mortal nasceria,
Expiaria os nossos pecados e Se faria Deus eterno.

Foi no transcorrer de uma penosa viagem
Que o grande milagre aconteceu,
Não tendo lugar disponível na estalagem,
Numa manjedoura o Menino Jesus nasceu.

Conduzidos por uma estrela guia,
Alguns magos deixaram o Oriente.
Encontraram o Redentor com José e Maria
Para O qual entregaram três valiosos presentes.

O Menino cresceu em sabedoria,
Aos quase trinta anos iniciou o seu ministério.
Trouxe paz ao coração de todo aquele que O ouvia
Ao iluminar o que até então era apenas mistério.

Ensinou com palavras e com o próprio exemplo,
Encheu o mundo de esperança e luz,
Mas aqueles indignos de entrar em Seu templo,
Com cravos nas mãos, O executaram numa cruz.

Cristo entregou sua vida, mas como um Deus ressuscitou,
Portas da eternidade abertas, ofertou-nos como legado
E entre tantos, um especial ensinamento deixou:
- Ame a Deus sobre tudo e ao próximo como espera ser amado.

Obs: 'alguns magos' - ver: Mateus cap. 2. Ver. 1
'quase trinta anos' - ver: Lucas cap. 3. Ver. 23.

Eduardo de Paula Barreto

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

VISITAS

contador grátis

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D