Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ANITTA BARROCO

"AQUAE FLAVIAE"

"AQUAE FLAVIAE"

Braquiterapia

De retorno a casa.

 

Depois de ter alugado um hotel especial, com um bela suite, voltei para casa.

Braquiterapia, depois de tantos comentários que eu ouvi ao longo das minhas sessões de radioterapia, eu sempre imaginei a Braquiterapia um bicho de sete cabeças, mas afinal no que consistia, tantas vezes eu me perguntei.

Aqui vai uma pequena explicação, não há é nada a temer, a Braquirapia consiste numas pequenas agulhas no nosso peito, depois são ligadas a uma pequena grande maquina que através dessas agulhinhas, o nosso "palhaço" deixa de sorrir.

e deixo aqui uma pequena nota, não se deixem iludir pelo que falam cá fora, pois tudo o que eu ouvi era uma grande mentira.

 Se lhe propuserem a Braquiterapia  não esqueçam, e só para o nosso bem e não custa nada. beijinhos

 

tratamentos encerrados

NOTICIA INESPERADA

Pois é, estava eu a espera do dia 26 com tanta ansiedade, que bastou um telefonema pela manhã dizendo que a máquina de braquiterapia, estava livre para mim amanhã.

 E sendo assim, é mesmo melhor terminar com esta tortura, e pensar que dia 26 estarei em casa  feliz.

Há uma boa noticia além de estar isolada, ehehe não vou estar muito pois posso levar o meu companheiro de viagem"O MEU COMPUTADOR".  beijinhos

 

Breve história de um cancro

foto tirada 19 de janeiro 2010 dois meses depois da QUIMIOTERAPIA

 

 

O cancro da mama

O cancro da mama é a forma de cancro mais comum na mulher. As taxas de incidência têm vindo a subir na segunda metade deste século.
Calcula-se que uma em cada 10 mulheres irá desenvolver cancro da mama ao longo da sua vida.
Pois é minhas amigas. Não desanimar, é a principal terapia
Hoje faz exactamente 11 meses em que tudo se iniciou. Março de 2009 é um ano para esquecer.
Depois de um dia complicado de trabalhos em casa, enquanto dava um banhinho, reparei que na minha mama esquerda estava qualquer coisa de anormal. Um pouco alarmada tentei esquecer pensando: isto não e nada, talvez do esforço? Mas há noite ao deitar, voltei apalpar a mama e estava realmente ali o que eu logo imaginei.
Dois dias depois, dirigi-me ao centro de saúde, onde fui falar com a minha medica assistente. Ela esteve a examinar-me e disse que realmente havia qualquer coisa, mas para não me alarmar.
Daí começaram exames, Mamografia, Eco mamária, e Biopsia de agulha fina. Os resultados finais apresentavam células cancerígenas.
 
 A médica de família, mandou de imediato todos os meus exames, para o INSTITUTO DE ONCOLOGIA DO PORTO “IPO” e, passados 5 dias, aí vou eu, para a minha primeira consulta
Não vou dizer que ia cheia de medo pois na verdade já ia descontraída sabendo que as notícias não iam ser boas.
A médica no IPO foi super simpática dizendo logo abertamente que meu carcinoma era maligno, mas, teria de me submeter a segunda Biopsia para saber o que realmente ia encontrar, ou seja entre os carcinomas malignos qual deles seria “DUCTAL ou LOBULAR”. Depois de exame feito vim para casa, esperando ansiosamente os resultados.
Quando voltei para saber os resultados, fui informada que o meu carcinoma “o meu palhaço” era um Ductal grau 3. Não vou dizer que fiquei contente com a notícia, mas entre os dois fiquei mais aliviada.
Depois desta fase, eu parti para a seguinte: “a operação”. Exames e mais exames. Chegou o dia e lá fui confiante em Deus e em mim. Quando acordei, recebi uma boa notícia: só tinham extraído o meu “palhaço” - é o nome que lhe dei -, deixando ficar a minha mama. Pode não ser importante mas, para mim, foi a notícia mais importante do mundo.
Depois veio a recuperação, e uma terceira etapa a conquistar: a QUIMIOTERAPIA. De 6 tratamentos que fiz de 21 em 21 dias, só aos três últimos tratamentos é que tive medo. Fiz a Quimioterapia vermelha normal, e fiz t Quimioterapia taxotore.
 Com a vermelha veio a queda do cabelo, mas eu fico linda “carequinha”. Com a Quimioterapia taxotore veio o sindroma de mãos e pés: “ queda das unhas”, sobrancelhas e pestanas, e dores articulares, mas, mesmo assim eu sentia-me bem comigo mesma. Isso foi o mais importante nesta etapa. Não falo de mais nada da Quimioterapia porque não vale a pena. Só quem faz, sabe perfeitamente que há muito mais que isto.
 
Quarta etapa: a Radioterapia. De 25 sessões, para mim foi fácil, nada a ver com a Quimioterapia, excepto o cuidado em nos hidratarmos bem, e o mau tempo que fui apanhando, as nevadas, porque eu ia todos os dias de Chaves até ao Porto. Por isso rezava para que não houvesse nevadas pois era importante cada sessão de rádio.
 
Quinta etapa: final de tratamentos Braquiterapia dia 26 de Janeiro do ano 2010. Falarei dela depois.
 
Falar da doença hoje não me deixa triste. Pelo contrário fortalece-me cada vez mais. Aprendi que, estamos numa grande luta, podemos com tudo. Posso dizer, com tranquilidade, que em nenhum momento estive só. Tive o apoio de todos: amigos, família, filhos, e o meu marido, que foi, e é, quem sofreu mais com este pesadelo. Agradeço a Deus a oportunidade que tive de crescer como pessoa, de reaprender a dar o melhor de mim e a ser benevolente com o mundo.
 
 
Agradeço a todas as pessoas amigas que estiveram ao meu lado. Elas não me deixaram esquecer que Deus existe e que sempre está ao nosso lado nos bons e maus momentos. Agradeço, especialmente, ao meu marido. Mesmo sentindo medo ele deu-me a mão, e caminhou em todos os momentos ao meu lado.
A minha sincera homenagem a todos os que trabalham no “INSTITUTO DE ONCOLOGIA DO PORTO” que têm extrema generosidade, bondade e paciência.
 
 
Se relato este meu ano 2009, é porque foi um momento menos feliz da minha vida, mas que estou a ultrapassar com ajuda de todos, e quero deixar aqui o meu obrigado por tudo o que fizeram por mim.
 

 

 

Ana Bela Barroco

 

Segue o teu destino

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.

 

 

 

       Ricardo Reis

Olhando o mar, sonho sem ter de quê

Olhando o mar, sonho sem ter de quê.
Nada no mar, salvo o ser mar, se vê.
Mas de se nada ver quanto a alma sonha!
De que me servem a verdade e a fé?

Ver claro! Quantos, que fatais erramos,
Em ruas ou em estradas ou sob ramos,
Temos esta certeza e sempre e em tudo
Sonhamos e sonhamos e sonhamos.

As árvores longínquas da floresta
Parecem, por longínquas, 'star em festa.
Quanto acontece porque se não vê!
Mas do que há pouco ou não há o mesmo resta.

Se tive amores? Já não sei se os tive.
Quem ontem fui já hoje em mim não vive.
Bebe, que tudo é líquido e embriaga,
E a vida morre enquanto o ser revive.

Colhes rosas? Que colhes, se hão-de ser
Motivos coloridos de morrer?
Mas colhe rosas. Porque não colhê-las
Se te agrada e tudo é deixar de o haver?

 

 

 


                 Fernando Pessoa

 

Tenho pena e não respondo

Tenho pena e não respondo.
Mas não tenho culpa enfim
De que em mim não correspondo
Ao outro que amaste em mim.

Cada um é muita gente.
Para mim sou quem me penso,
Para outros --- cada um sente
O que julga, e é um erro imenso.

Ah, deixem-me sossegar.
Não me sonhem nem me outrem.
Se eu não me quero encontrar,
Quererei que outros me encontrem?

 

 

 Fernando Pessoa

Dia de Reis

Vieram os três Reis Magos
Das suas terras distantes
Guiados por uma estrela,
Cujos raios cintilantes
Os levaram ao Deus Menino
Que, a sorrir de bondade,
Recebeu os seus presentes
E os acolheu com amizade.

 

PROVERBIOS DE JANEIRO

•A Pescada de Janeiro, vale um carneiro.
•Aproveite Fevereiro quem folgou em Janeiro.
•Calças brancas em Janeiro, sinal de pouco dinheiro.
•Cava fundo em Novembro para plantares em Janeiro.
•Chuva em Janeiro e não frio, dá riqueza no estio.
•Comer laranjas em Janeiro, é dar que fazer ao coveiro.
•Da flor de Janeiro, ninguém enche o celeiro.
•Dezembro com Junho ao desafio, traz Janeiro frio.
•Em Janeiro saltinho de carneiro.
•Em Janeiro sobe ao outeiro; se vires verdejar, põe-te a chorar, se vires nevar, põe-te a cantar.
•Em Janeiro uma hora por inteiro e, quem bem olhar, hora e meia há-de achar.
•Em Janeiro, cada Ovelha com seu Cordeiro.
•Em Janeiro, nem Galgo lebreiro, nem Açor perdigueiro.
•Em Janeiro, seca a Ovelha no fumeiro.
•Em Janeiro, sete capelos e um sombreiro.
•Em Janeiro, um Porco ao sol e outro ao fumeiro.
•Goraz de Janeiro vale dinheiro.

Vamos Cantar as Janeiras

 
 
 
 
 
Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza

Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura
 

 

FELIZ ANO NOVO

Feliz Ano Novo!

 

 

 

Adeus ano velho

que tudo se realize

no ano que vai nascer

muito dinheiro no bolso

saúde para dar e vender.

Aos solteiros sorte no amor

nenhuma esperança perdida.

Aos casados nenhuma briga

Paz e sucesso na vida.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

VISITAS

contador grátis

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D